Etc.

Enciclopédia multimídia The World Book, um concorrente de peso do Encarta

Quem me acompanha nas redes sociais já percebeu que estou numa vibe meio nostálgica de CD-ROMs antigos de PC. Um tanto disso porque vivenciei essa era, no início dos anos 90, com a chegada dos kits multimídia, das placas de som Sound Blaster e dos primeiros jogos e aplicativos multimídia em CD.

Aqui no Brasil, muitos conheceram a enciclopédia multimídia Encarta, lançada pela Microsoft e que fez parte da sua linha Microsoft Home de produtos educativos e de entretenimento em disquetes e em CD. Minha família mesmo chegou a comprar o Microsoft Encarta 95, que de certa forma me ajudou em trabalhos escolares (isso ainda em uma era pré-internet comercial, há três anos do nascimento do Google e um tanto quanto distante da Wikipedia, diga-se de passagem). Lembro bem desse dia. Compramos o Encarta em um supermercado Carrefour, e infelizmente foi a única edição que tive nos tempos áureos (talvez pelo alto preço na época).

Encarta 95. Foto: imgur.com

Interface inicial do Encarta 95

O Encarta chegou a fazer muito sucesso no Brasil, mas houve nos Estados Unidos um concorrente de peso não muito conhecido por aqui, o The World Book. A editora americana World Book, Inc. produz a enciclopédia The World Book desde 1917 (exatamente há um século). Em 1996, a enciclopédia ganhou sua primeira edição interativa em CD-ROM, com versões para Windows e Mac. Essas edições eletrônicas continham todo o texto dos 22 volumes impressos, além de fotos, ilustrações, vídeos, imagens 3D panorâmicas e áudios.

O jornal americano The Washington Post chegou a fazer uma matéria em janeiro de 1997 comparando o então novo player no segmento de enciclopédias multimídia com o Encarta.

Posteriormente, o The World Book ganhou versões interativas em DVD e, atualmente, possui versões digitais em forma de aplicativos, inclusive edições mais segmentadas, como as voltadas para o público infantil. O mais interessante, no entanto, é que as versões em CD/DVD foram deixadas para trás por conta dos apps, mas a edição impressa continua sendo fabricada até hoje. Abaixo está a edição comemorativa de cem anos, lançada esse ano.

Sigo nostálgico, apreciando CD-ROMs da Era de Ouro da multimídia, de um tempo ainda não tão virtualmente conectado como nos dias de hoje.

Carioca, jornalista, empreendedor e nerd. Amante de games e de retrocomputação. Editor do site RetroBased e proprietário da loja virtual Retro Mall. No YouTube, faz resenhas de itens ligados a micros antigos, consoles clássicos e retrogames.
Comentários
T o p o